29 de mar de 2014

Voltamos! Ou nem tanto...

É, pessoal: a saudade bateu e neste ano encontramos, enfim, disposição pra falar pra caramba durante este ano. Eu sei que se passaram quase três meses depois que o ano começou, mas é que a gente andava muito ocupado pra visitar esse Boteco aqui. Pra comemorar nossa grande retomada (até que a gente fique de saco cheio mais uma vez), iremos ressuscitar um pouco da nossa estimada Tassa di Prástico, a tradicional premiação dos piores do ano anterior, combinada com alguns ganhadores do Estandarte de Lata, que premia os piores do Carnaval.
 
Ué, qual é o problema?! Tá, sabemos que o Carnaval foi há quase um mês. Mas só agora tivemos saco pra premiar o pessoal todo. É bom a gente avisar desde já que nem serão todos os prêmios anteriores que entregamos, pois não tivemos saco bastante pra fazer a retrospectiva de 2013. E nem estranhem o fato de premiarmos a galera do ano passado agora, no final de março. Até cerca de dez anos atrás, o Oscar era nessa época do ano e ninguém achava estranho. Então, toma os prêmios e não reclama, rapaz.
 
TASSA DI PRÁSTICO
Troféu Bundinha de Bebê de frase mais cretina do ano: "Menos democracia às vezes é melhor para organizar uma Copa do Mundo" - VALCKE, Jérôme. 24 de abril
 
Troféu Florentina de Jesus de pior canção do ano: Aquecimento das Maravilhas, executada pelo grupo Bonde das Maravilhas
P.S.: O vídeo acima é pra quem gosta de altos sofrimentos auditivos.
 
Troféu Osama bin Laden de maior "já vai tarde" do ano: Hugo Chávez, presidente da Venezuela, falecido em 5 de março de 2013 (exatos sessenta anos depois de Josef Stalin, a propósito)
 
Troféu Ben Johnson de maior mico esportivo do ano: O Tapetão 2013, aquele que mudou o rebaixamento quase um mês depois do fim do Campeonato Brasileiro
 
ESTANDARTE DE LATA 2014
Pior escola e pior conjunto de fantasias: Unidos de Vila Isabel, que defendeu o título com um desfile, digamos, um tanto quanto minimalista demais
 
Pior enredo, pior samba-enredo e pior conjunto alegórico: Beija-Flor de Nilópolis, que foi O Erro™ desde o Carnaval passado, quando anunciou que homenagearia Boni e levou à Sapucaí um desfile inteiramente sem pé nem cabeça, desde a sinopse até a Apoteose
 
Pior comissão de frente: Mocidade Independente de Padre Miguel, que tentou homenagear Fernando Pinto levando imitação da nave da Xuxa - mas parece que não teve lá muito sucesso
 
Pior escola do Grupo de Acesso: Tradição, que mais uma vez reeditou enredo de outra escola (no caso, o da Beija-Flor de 1976) e, uma vez mais, evidenciou a sua absoluta mediocridade atual
 
Vesti uma fantasia de mico e saí por aí: A incoerência das notas dadas a escolas como Vila Isabel (que ganhou notas altas demais para alas sem fantasias) e Império da Tijuca (que foi canetada demais, mesmo sem ter faltado nada, nem mesmo samba-enredo)
 
INTÉ.